Entrevista Osama Rashid

Época: 
2015/2016
Dados: 
28/03/2016 - 11:00

O nosso atleta Osama Rsahid, em representação da sua selecção.

Fonte: Record

O empate caseiro (2-2) diante da Tailândia comprometeu as aspirações da seleção do Iraque no apuramento para o Campeonato do Mundo de 2018 e para a Taça da Ásia, e o jogo de amanhã, com o Vietname, já não influirá nas contas. Osama Rashid deverá atuar, depois de não ter saído do banco frente aos tailandeses.

"Vestir a camisola do meu país é sempre algo indescritível e foi com enorme alegria que recebi a chamada para este duplo compromisso", comenta o jogador de 24 anos, que assinala "o entusiasmo dos iraquianos em torno da sua seleção, algo verdadeiramente arrepiante".

O futebol "é vivido de uma forma particular por um povo habituado a sofrer", assinala Osama Rashid, natural de Kirkuk, uma das cidades mais devastadas pelos conflitos internos. O empate com a Tailândia traduziu-se "numa profunda deceção" e amanhã o treinador Yahya Alwan deverá abrir as portas do onze ao jogador do Farense.

 

As miniférias de Páscoa concedidas por Horácio Gonçalves prolongam-se até amanhã e no regresso ao trabalho o treinador poderá contar com Harramiz (que acabou por recusar a ida à seleção de S. Tomé e Príncipe) e ainda com Márcio Sousa, Luzardo, Celsinho e Jota, recuperados de lesões.

 

Autor: Armando Alves

Tags: 
Futebol, Farense